Sexta-feira será de protestos, rodovia fechada e paralisações na região

News3

MANHUAÇU (MG) - Diversas categorias de trabalhadoras confirmaram adesão à greve geral que será realizada nesta sexta-feira, dia 28 de abril, contra as reformas propostas pelo governo de Michel Temer (PMDB), como a da Previdência e a trabalhista. Haverá protestos em todo o país. Na região, há manifestações marcadas para a cidade de Manhuaçu e no trevo das BRs 262 e 116, em Realeza, a partir de 7 horas da manhã.

Em 26 Estados e no Distrito Federal, sindicatos de trabalhadores do setor público e privado divulgaram a adesão ao protesto. As paralisações de ônibus, metrô e trens já estão confirmadas na Grande São Paulo e em outras 17 capitais.

Os professores da rede pública de Alagoas, Bahia, Brasília, Paraná, Pará, Mato Grosso, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Ceará, Amapá, Tocantins, Espírito Santo, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo (municipal e estadual) também aderiram à mobilização.

Além disso, docentes da rede privada de Alagoas, Pernambuco, Piauí, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais também decidiram participar do movimento, que também terá a adesão de professores das universidades federais e estaduais de todo o país.

Pilotos de avião, copilotos e comissários de bordo declararam estado de greve em São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Brasília e Porto Alegre.  

Os aeroviários, que trabalham em funções como mecânicos de pista e auxiliar de serviços gerais, decidiram realizar uma paralisação de 24 horas no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), e no Gilberto Freyre, em Pernambuco (PE).

 Os bancários devem cruzar os braços em 22 estados, assim como os metalúrgicos (sete estados), comerciários (seis estados), eletricitários, químicos, petroleiros e trabalhadores de saneamento básico e dos Correios. Trabalhadores do Porto de Santos também aprovaram a greve.

Servidores públicos das demais áreas, inclusive do Judiciário, vão ter paralisações em todas as capitais e dezenas de cidades médias.

De acordo com a Central Única dos Trabalhadores, o sistema Petrobras irá parar suas atividades em unidades da empresa em São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Amazonas, Pernambuco, Paraíba, Bahia, Rio de Janeiro e Ceará.

 Os protestos são organizados por nove centrais sindicais (CUT, UGT, Força Sindical, CTB, Intersindical, CSP/Conlutas, Nova Central, CSB e CGTB) e também terão a participação de movimentos sociais, como MTST, UNE e MST, que pretendem fazer um ato em frente à casa de Michel Temer.

REGIÃO

Além dos atos em todo o país, sindicatos de trabalhadores rurais, lideranças e outras entidades estão convocando a população, inclusive com anúncios em rádios, para manifestações em Realeza, a partir de 7 horas da manhã desta sexta-feira.

São aguardadas pessoas de 15 cidades da região com o fechamento do trevo onde se encontram as rodovias BR 262 e BR 116.

O Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Manhuaçu está planejando uma palestra e poderá fazer manifestação no Centro da cidade de Manhuaçu, também logo pela manhã.

Os professores ligados ao SIND-UTE de Manhuaçu também irão promover uma manifestação no Centro da cidade.

A OAB/MG anunciou que irá paralisar suas atividades em todo estado nesta sexta-feira

A seccional mineira acatou a solicitação do sindicato que representa a categoria dos funcionários da OAB/MG deferiu o pedido para o abono de ponto de todos os empregados da Ordem de Minas que trabalham na sede, subseções, salas em fóruns, tribunais e presídios, em todo o estado.

Além disso, instituições particulares, como a Fadileste, em Reduto, também anunciaram a adesão ao movimento.

Carlos Henrique Cruz - carlos@portalcaparao.com.br

Deixe seu comentário: