Avalie o site

Taxista foi morto a pauladas. Corpo encontrado na zona rural de Santana

News3

SANTANA DO MANHUAÇU (MG) - Um triste e trágico desfecho. Desde a manhã desta segunda-feira, o Portal Caparaó acompanha o trabalho da Polícia Militar no levantamento de informações para desvendar o paradeiro do taxista Márcio Vieira Amorim, de 57 anos, morador de Santana do Manhuaçu, que estava desaparecido desde o último sábado (22/07).

Após a prisão do suspeito André Santos Félix, os militares se deslocaram até a zona rural de Santana do Manhuaçu. O corpo do taxista foi encontrado enterrado em uma vala na lavoura de café. Ao que tudo indica, o taxista foi morto a pauladas. As mãos e os pés das vítimas estavam amarrados.

Apesar de negar a participação no crime, André foi quem levou os policiais até o local onde o corpo foi enterrado. 

Carro encontrado

O carro do taxista, um Fiat Pálio, de cor vermelha, com placas de Santana do Manhuaçu, foi localizado durante a manhã desta segunda-feira (24/07), por funcionários da fazenda Barbosa, situada às margens da MG-329, estrada que liga Caratinga a Bom Jesus do Galho, no Córrego da Varginha.

A primeira versão do suspeito

Em diligências, conforme informado por Tenente Wallace, um suspeito foi detido. O suspeito André Santos Félix informou que solicitou uma corrida ao taxista na noite de sábado e alegou que pagou os 40 reais e depois de chegar ao destino o taxista foi liberado.

 “Eu parei na pracinha de Santana e pedi para fazer o corre pra mim até uma fazenda. Ele chegou na porteira e me deixou, voltou para trás. Aí não sei mais o que aconteceu”.

Na versão inicial dele, André informou ainda que ao chegar no local, teve uma discussão com o padrasto e decidiu retornar de carona para Caratinga. Ele alega que estava no veículo com o seu irmão. Para a Polícia, também havia uma mulher.

As informações repassadas pelo suspeito e a negativa de envolvimento no crime foram consideradas como desencontradas, segundo informado por Tenente Wallace.

Com informações da TV Super Canal e Jailton Pereira

Compartilhe:

Deixe seu comentário